Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

riscos_e_rabiscos

.

.

Sobrevivi ao dentista!

Levantei-me com as galinhas para tomar o comprimido da tiróide, passar meia hora e depois tomar o pequeno-almoço em condições. Com o estomago vazio, a anestesia faz-me sentir maaaaal.

 

Saí de casa, fui levantar dinheiro ao MB e assisto a uma cena super estúpida. Os bancos agora têm aquelas portas em que as que permitem a ida ao balcão só abrem depois da exteriro se fechar. E não é que hoje, um miudinho de cerca de 3 ou 4 aninhos ficou com o braço entalado entre os dois vidos basculantes que constituem a porta que dá acessoa ao balcão? Coitadinho! Foi mais o susto e o bracinho vermelho. Mas aquela coisa não devia ter um sensor para evitar coisas destas? Adiante.

 

Fui para o consultório. Entrei no prédio, e em vez de subir até ao 2º andar, resolvi apanhar o elevador para não chegar lá a "escorrer" em suor". Ao chegar ao segundo andar, toquei à campainha. Ninguém me atendia. Estranho. Depois pareceu-me ouvir água a correr mas pensei que devia ser impressão minha, que devia ser o barulho de alguma máquina. Até que me abrem a porta: surgiu um velhote em pijama! Não é que me enganei no andar?!?! Eu bem estranhei não haver nenhuma indicação mas pronto. Já há muito tempo que não me acontecia nenhuma destas!

 

Desci um andar e, finalmente, entrei no consultório. Quinze minutos depois, sento-me na terrível cadeira do dentista. Expliquei-lhe o motivo por que me tinha levado lá e observou-me as dentolas. Afinal, os dentes só têm mesmo as pontinhas partidas e podem limar-se caso façam mta impressão, ou para os dentes ficarem direitinhos.

 

Já que ali estava e disposta a sofrer, acabei por fazer uma limpeza aos dentes. Balanço final: um dente com uma mini cárie e uma substituição de uma reconstrução pois já está meio amarelada e velhota. até fiquei contentinha, pensei que o panorama estivesse pior.

 

6 comentários

Comentar post